ABL JUNTOS

A bênção do perdão

“Bendiga ao Senhor a minha alma! Não esqueça de nenhuma de suas bênçãos! É ele que perdoa todos os seus pecados e cura todas as suas doenças” (Salmos 103: 2-3)

Todas as vezes que oro, peço perdão a Deus. Afinal, sou um pecador. Cometo pecados. Há alguns que posso citar com clareza, quando algo pesa em minha consciência. Ainda que seja apenas uma questão de minha consciência, peço perdão. Mas sempre peço perdão num sentido mais amplo, pelos meus pecados, sem especificar algum. Peço perdão por ser incapaz, por julgar, compreender e agir inadequadamente. Por erros e fraquezas que nem teria condições de, com clareza, identificar.
Em minha percepção da vida e da fé, isso faz sentido. Eu creio no perdão de Deus. Sinto-o tantas vezes que não poderia conta-las. O perdão de Deus me fortalece, alegra e anima. Seu perdão me comunica Seu amor. Ser perdoado é uma grande benção e o salmista Davi percebeu isso.


Já li este salmo muitas vezes e já o cantei também. Mas hoje, lendo-o para escrever este texto, dei-me conta de que não tenho orado em gratidão a Deus por Seu perdão. E se orei no passado, não me lembro! Lembro-me de orar agradecendo o alimento, os bens, a família, os amigos, algo bom que tenha desfrutado, a vida… muitas coisas. Mas não me lembro de ter feito como o salmista e exaltado a Deus por Seu perdão. Quantas vezes Ele tem me perdoado! Eu teria adoecido sem o Seu perdão. Teria dormido muito mal, muitas vezes. Mas Ele me perdoou. Deu-me paz. Seu perdão torna-me digno e firma meus passos. E dei-me conta de que não tenho dedicado palavras em minhas orações para agradecer e bendizer a Deus por isso. E aí já me sinto necessitado de pedir perdão mais uma vez. Perdão por não expressar gratidão pelo perdão recebido.

Tomo então as palavras de Davi, o salmista, pastor e rei, como minhas. Como ele, convido minha alma a reconhecer a benção do perdão e a celebrar a Deus. É Ele quem perdoa todos os meus pecados. Mas ocorre-me também que minha gratidão precisa ir além das palavras. Deve envolver minha vida. Minha gratidão deve também se expressar por meio de um compromisso mais determinado com a honra de Seu Nome, com um viver mais digno e com uma resistência maior ao mal. Deve se expressar em minha maneira de lidar com os que pecam contra mim. Devo perdoar como sou perdoado! Deve expressar-se em amor, humildade e retidão. Tudo isso é tão desafiador, mas o Deus que me perdoa também me fortalece e ensina. Quanta gratidão devo a Ele! Acredito que você também. Obrigado Senhor!