Igrejas cheias de pessoas vazias?!

Tem se tornado mais frequente as observações de líderes que tem descoberto que há Igrejas cheias de pessoas vazias. Isso nos causa um certo impacto, pois leva em conta que a vivência cristã não estaria cimentada no sadio Evangelho.

Ao viajar pelo país, também tenho notado a mesma situação em diversos lugares. Claro que aqui utilizo o termo “Igreja” para me referir ao espaço que conhecemos como templo, mas podemos também nos referir a Igreja como instituição em si (claro que Jesus não morreu pelo espaço e pelos objetos que estão neste espaço). Mas tenho também observado que, embora muitas Igrejas estejam cheias, inúmeras pessoas ali parecem continuar vazias de sentido no viver. Em vez de entregarem não só a alma para Jesus, ainda não lhe entregaram tudo o que têm, negando-se a si mesmas, conforme Lucas: 9.23.

A diferença entre o pseudo cristão e o autêntico cristão

A grande diferença entre o pseudo cristão e o verdadeiro é Cristo (Cl 1.27). Fazer parte do rol de membros de uma igreja não garante que está no caminho estreito, sobre a rocha e como uma árvore saudável produzindo fruto.

Jesus ensina de modo cristalino que dizer “Senhor, Senhor”, verdadeiramente só pode ser pelo Espírito Santo, 1 Co 12.3. Há muita religiosidade, jargão de igreja, mas um número reduzido de verdadeiros cristãos.

Nesse texto precioso, pela graça de Deus, vamos examinar três pontos relevantes para o nosso crescimento espiritual.

ABL JUNTOS_PIB. OLARIA_25/07/2017

ABL JUNTOS_IB PENHA CIRCULAR_30/05/2017