ABL Juntos_Novembro 2018

ABL Juntos_Novembro 2018

Uma igreja saudável

Uma Igreja saudável significa que ela tem saúde, vigor espiritual, que vive a espiritualidade bíblica. Em Atos 2.42-47, há algumas características de uma igreja saudável. Examinemos cada uma delas com humildade.

Uma igreja que persevera na doutrina ou ensino dos apóstolos.

Sim, uma igreja que está comprometida com as Escrituras. Ela tem grande interesse e persevera intensamente na meditação da Palavra de Deus. Uma igreja fiel à Bíblia. Centrada na Palavra. Seus membros têm prazer em estuda-la e colocá-la em prática no dia a dia. Aprecia a exposição das Escrituras.  Uma igreja que tem amor à revelação de Deus. Ela não abre mão da centralidade das Sagradas letras em todas as suas atividades.

Uma igreja que persevera na comunhão e no partir do pão

Uma igreja que leva a sério a Bíblia, está preparada para viver em comunhão. A igreja é a comunidade dos redimidos no sangue de Cristo.
Ela vive a unidade com os seus dons e talentos. Ela tem prazer nos relacionamentos saudáveis. Satisfação na informalidade do partir do pão. Os seus membros vivem a aceitação, o perdão e a festa, especialmente no seu ministério evangelístico. Há, portanto, um ambiente de amor extravagante em Cristo Jesus para alcançar os perdidos.

Uma igreja que persevera nas orações.

A igreja entende que a oração é a chave do despertamento espiritual e o consequente avivamento. A igreja que ora, cresce. A comunidade que intercede alcança o mundo. Onde se pratica a oração sincera, há poder. Deus se agrada ao ver Seus filhos orarem com um coração quebrantado e contrito (Sl 51.17). Tiago ensina que “a oração do justo pode muito em seus efeitos” (Tg 5.16). A oração quebra barreiras. Amolece corações. Amplia os horizontes. Une as pessoas. Age poderosamente no caos, trazendo a restauração de Deus. A igreja precisa perseverar nas orações.

Uma igreja cheia de temor

Sim, a igreja de Cristo é uma igreja que considera a sublimidade, majestade e o poder de Jesus. Uma igreja que anda em temor torna-se relevante na sociedade. Cumpre a sua missão (1 Pe 2.8,9). Pedro nos ensina que devemos “andar em temor durante o tempo da nossa peregrinação” (1 Pe 1.17). Uma igreja cheia de temor é uma igreja santa, que atrai os perdidos. Os seus encontros, os seus cultos são reverentes e um belíssimo testemunho da graça de Deus (Hc 2.20).

Uma igreja vivendo a unidade cristã

A diversidade de dons e talentos torna a igreja uma comunidade (comum unidade). A unidade em Cristo é que também atrairá pessoas à salvação. Viver a unidade cristã é colocar em prática o que Paulo ensina aos irmãos em Filipos: “sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa” (2.2). A igreja deve sempre expressar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz (Ef 4.3). Vivamos, pois, a unidade cristã!

Uma igreja cujos membros são liberais, têm prazer em repartir, em investir em pessoas.

Só quem conhece a Cristo profundamente está liberto do poder do dinheiro e das coisas materiais (Mt 5.19-24; Gl 5.1). Está desapegado das coisas deste mundo. Os membros do Corpo de Cristo têm prazer, deleite em contribuir, em investir na expansão do Reino de Deus. Eles sabem que tudo o que são e que têm, pertence a Deus (Sl 24.1). Contidos no contentamento, temos prazer em repartir. O dinheiro é um assunto altamente espiritual. Vidas consagradas no altar de Deus têm prazer em investir em pessoas. O altar de Deus é o lugar onde vidas e bens são coerentemente oferecidos a Deus como culto racional (Rm 12.1,2).

Uma igreja vivendo a simplicidade de Cristo Jesus.

Como Rei dos reis e Senhor dos senhores, Jesus não tinha onde reclinar a Sua cabeça (Mt 8.20). O Deus feito homem ou encarnado viveu aqui com tamanha simplicidade. Ele vivia intensamente com os rejeitados pela sociedade. Ele nos ensinou a sermos “simples como as pombas” (Mt 10.16). A igreja deve estar revestida da simplicidade de Cristo, egressa da manjedoura (Fil 2.5-8). Na sua simplicidade cristã, a igreja de Jesus é eficiente e eficaz em sua comunidade. Um povo que tem paixão pelas pessoas perdidas. Como igreja, vivamos a simplicidade daquele que deu a Sua vida por nós!

Uma igreja que cresce de forma qualitativa e quantitativa.

A igreja que persevera na doutrina dos apóstolos, na comunhão e no partir pão; nas orações; cheia de temor; experimentando a unidade em amor entre os seus membros; contribuindo com liberalidade; vivendo a simplicidade de Cristo, certamente há de crescer qualitativa e quantitativamente como a Igreja primitiva em Atos dos apóstolos (At 2.42-47; 4.32-37). Se plantarmos  e regarmos  a semente do evangelho, Deus dará o crescimento, fará multiplicar (1 Co 3.6).

Aspiremos ser essa igreja saudável, plenamente comprometida com a mensagem da cruz, com a mensagem do evangelho de Jesus. Uma igreja viva, atuante e perseverante, constituída de discípulos e discípulas de Jesus, sendo sal da terra e luz do mundo (Mt 5.13-16). Que sejamos essa igreja para a glória de Deus Pai.

Pr. Oswaldo Luiz Gomes Jacob
Pastor da Segunda Igreja Batista em Barra Mansa – RJ