ABL JUNTOS

A vitimização das crianças

Ultimamente temos visto e ouvido coisas terríveis sobre as crianças, principalmente recém-nascidas. Coisas que já estavam acontecendo, mas que somente agora estão tendo mais atenção dos meios de comunicação, principalmente a TV.
 
As crianças, por serem indefesas, são mais suscetíveis de se transformarem em vítimas do que qualquer outra classe de pessoas. E isso torna as agressões ainda mais hediondas, já que elas não têm como defender-se.

A causa dessa situação pode ser resumida numa só palavra: pecado.

É o pecado da exploração do homem pelo homem e por isso temos a miséria e a pobreza, produzindo crianças totalmente desamparadas, que acabam indo para as ruas para pedir, roubar ou se drogar.


É o pecado do sexo desenfreado, usado sem nenhuma responsabilidade por jovens e adolescentes, produzindo bebês indesejáveis, que são jogados nas ruas, no lixo, nas lagoas e nos rios, para morrerem ou serem (quem sabe?) socorridos por estranhos.

É o pecado dos vícios da bebida, das drogas e do jogo, infelicitando famílias, tirando o pão da boca das criancinhas, e provocando atitudes agressivas dos pais, algumas mortais, que deixam marcas para sempre na mente e coração dos pequenos.

É o pecado do abuso da paternidade e intimidade do lar, produzindo espancamentos, cárcere privado, exploração da mão-de-obra infantil e, o que é muito pior, a utilização das crianças para a satisfação das perversões sexuais dos pais e mães.

É o pecado da negligência, produzindo acidentes com materiais inflamáveis (como o álcool), choque elétrico, instrumentos cortantes ou perfurantes e brinquedos. Produzindo também desnutrição e doenças, por falta de cuidados na alimentação e higiene das crianças.

Não nos enganemos: somos todos responsáveis por essa situação na medida em que nos calamos ou cometemos um desses pecados. O que temos feito para mudar isto?

Pr. Sylvio Macri
Pastor da IB Central de Oswaldo Cruz-RJ
Fonte: adiberj.org