ABL Juntos_Novembro 2018

ABL Juntos_Novembro 2018

A vida como ela é

“A Vida Como Ela É” era o nome de um antigo programa de TV. Cada edição abordava a vida de uma pessoa pública, geralmente artista, mas havia também políticos e esportistas. Os produtores e editores buscavam ser bem realistas, mostrando a vida da pessoa como de fato foi, mas havia, inevitavelmente, um certo tom de romantismo. Sobrava, porém, sempre, a certeza de que havia mais coisas a comemorar do que lamentar.
 
Pensando nesse final de ano, lembrei-me do nome do programa, pois é ocasião de avaliarmos o que realizamos e aquilo por que passamos nos últimos doze meses. E a conclusão é que houve muitos problemas, dificuldades, tristezas, enfermidades, conflitos, dúvidas, fracassos, trabalho, escassez, etc., mas também houve triunfos, alegrias, curas, certezas, soluções, resultados, realizações. Porque assim é que a vida é de fato: uma sucessão de “vales, desertos e montanhas”, “curvas e retas”, “descidas e subidas”.
 
Mas para nós, os que cremos em Jesus como Salvador e o temos como Senhor, existe uma diferença: a certeza de que em cada um dos 365 dias de cada ano, ele foi e será nosso companheiro, pois prometeu que “estará conosco todos os dias, até o final dos tempos.” (Mateus 28.20). Na companhia de Jesus temos a graça para atravessar os vales e desertos, o refrigério das montanhas, a tranquilidade nas retas, a vigilância nas curvas, a alegria na subida, e o consolo e conforto na descida.
 
Em Jesus temos a mão que nos levanta quando caímos, o perdão quando erramos, a cura quando adoecemos, o suprimento quando algo nos falta, a solução quando vêm os problemas, a certeza quando a dúvida nos assalta. E também o encorajamento para continuar caminhando depois da queda, o poder para não errar mais, a graça para não nos tornarmos murmuradores, a fé para perseverarmos e confiarmos nas promessas divinas. E mais do que tudo, temos a esperança de que um dia todas as lágrimas serão enxugadas e estaremos para sempre com ele no céu. 
 
Concluímos, pois, que a cada final, não só de ano, mas também de dia, o importante é saber que Jesus caminhou conosco, é avaliar como ele caminhou conosco e verificar se tivemos a sabedoria de desfrutar sua companhia e de nos deixarmos abençoar por ele. Porque não há dúvida de que ele esteve conosco, pois “fiel é aquele que fez a promessa” (Hebreus 10.23).
 
Pr. Sylvio Macri