ABL Juntos_Outubro 2018

ABL Juntos_Outubro 2018

JESUS – Exemplo supremo de submissão

“Nos dias de sua carne, com grande clamor e lágrimas, Jesus ofereceu orações e súplicas àquele que podia livrá-lo da morte e, tendo sido ouvido por causa do seu temor a Deus, embora sendo Filho, aprendeu a obediência por meio das coisas que sofreu.” (Hebreus 5.7,8).
No jardim do Getsêmane Jesus suplicou, não uma, mas três vezes: “Pai, se possível, afasta de mim este cálice” (veja Mt.26.36-46). Foi a oração mais difícil de sua vida. Lucas relata que “cheio de angústia, ele orava mais intensamente; e o seu suor tornou-se como gotas de sangue, que caíam no chão.” (Lc.22.44). Mas em todas as três vezes também disse ao Senhor: “Seja feita a tua vontade, e não a minha.”
Apesar de saber que o Pai o ressuscitaria (já havia dito isso aos seus discípulos), nem por isso a perspectiva da morte na cruz era menos terrível e cruel.
Entretanto, o Pai respondeu-lhe que, embora fosse ele o seu Filho unigênito, era também o Cordeiro de Deus que devia ser sacrificado na cruz para tirar o pecado do mundo. Assim, “por causa da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da vergonha que sofreu.” (Hb.12.2).
Por tudo isso, Jesus é o nosso exemplo supremo quanto à prática da submissão a Deus; para nenhum outro ser humano foi mais difícil dizer: “Seja feita a tua vontade.” É com ele que aprendemos também a dizer ao Pai: “Seja feita a tua vontade”. Mesmo nas situações mais adversas, quando a dor é quase insuportável, até quando pode parecer impossível cumprir a vontade do Senhor.
Não se trata de obediência cega, mas da certeza de que fazer a vontade de Deus é a decisão mais indicada, é o caminho mais seguro. Entregar-se nas mãos do Senhor e submeter-se a ele é colocar-se sob a direção e a proteção do Deus onisciente, onipresente e onipotente. Daquele que sabe, muito melhor do que nós, o que é bom para nós. Ser submisso é ser sábio.
Deixemos nossa autossuficiência, nossa ansiedade, levemos nossos problemas a Deus por meio de orações, súplicas e ações de graças. Assim, “a paz de Deus que ultrapassa todo entendimento guardará os nossos corações e os nossos pensamentos em Cristo Jesus” (Fp.4.6,7). Praticar a submissão traz paz ao coração.
Aprendamos a ser submissos com Jesus, nosso Mestre por excelência.
Pr. Sylvio Macri

Pastor da IB Central de Oswaldo Cruz-RJ