ABL Juntos_Novembro 2018

ABL Juntos_Novembro 2018

Jovens comprometidos

Jovens comprometidos com Jesus e com a sua congregação, é isso que a igreja necessita desesperadamente, pois disso é que depende o presente e o futuro dela.

A sociedade atual tem adotado um estilo de vida extremamente individualista. A tecnologia produz equipamentos de comunicação que tornam o ser humano cada vez mais isolado. É comum ver pessoas que estão no mesmo espaço, às vezes numa pequena casa (ou apartamento) se comunicarem por telefone móvel. Os relacionamentos tornaram-se virtuais, as pessoas não se falam mais face a face. A vida familiar também foi afetada pelo individualismo, havendo casos de pessoas que moram na mesma casa passarem um dia inteiro sem mesmo se verem, quanto mais conversarem. Devido a atividades como trabalho e escola, elas chegam, dormem, acordam e saem em horários diferentes.

Este individualismo também afetou a ética e a espiritualidade das pessoas, por meio de um relativismo moral e espiritual que se mostra numa busca insensata pelo prazer e pela satisfação pessoal, sem considerar o que pensam os outros, ou o que lhes interessa.
O importante é ser feliz, mesmo todos em volta se tornem infelizes. O único compromisso que eu devo ter é comigo mesmo, os outros não importam.

Isto afetou tremendamente as igrejas evangélicas que levam os ensinos de Jesus a sério, que dão importância primordial à comunhão e ao compartilhamento, à unidade do corpo de Cristo e ao cuidado uns com os outros. Essas igrejas também dão muita importância à vida familiar saudável que tanto tem sido prejudicada por esse individualismo doentio. Por outro lado, elas crêem e pregam que há verdades absolutas, princípios e virtudes que são indiscutíveis e não podem ser considerados como relativos.

Infelizmente a parcela da sociedade mais afetada por esse individualismo sem compromisso são os jovens, por isso precisamos orar por eles e tentar recuperá-los, com muito amor, pois estão se tornando cada vez mais raros em nossas reuniões. Eles não são o “futuro” da igreja como se costuma dizer, mas sim o seu “grande presente”. Precisamos de sua alegria, entusiasmo, criatividade, energia; de sua liderança e compromisso. Queremos sair de cena e que eles tomem a frente. Que venham e assumam seu lugar, e sejam a igreja como ela deve ser de fato!

Pr. Sylvio Macri
Pastor da Igreja B. Central de Oswaldo Cruz-RJ